Votação

Qual é seu digiescolhido predileto de Digimon Adventure Zero Two?

26% 26% [ 10 ]
5% 5% [ 2 ]
3% 3% [ 1 ]
24% 24% [ 9 ]
3% 3% [ 1 ]
39% 39% [ 15 ]

Total dos votos : 38

Últimos assuntos
Os membros mais ativos da semana
KaiserLeomon
 

Digimon4EverPT
Geração Digimon Digimon & Pokémon Mystery Universe Digimon4EverPT Digital ZonePowered by BannerFans.comTv Digimon

[OFF-TOPIC]Warcraft - O Primeiro Encontro de Dois Mundos | Crítica

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[OFF-TOPIC]Warcraft - O Primeiro Encontro de Dois Mundos | Crítica

Mensagem por KaiserLeomon em Qua 01 Jun 2016, 8:08 am

01/06/2016 - 0:00 ÉRICO BORGO



Fonte : https://omelete.uol.com.br/filmes/criticas/warcraft/?key=109614

A "Alta Fantasia", subgênero mais épico e imaginativo dentro da Fantasia, de luminares como O Senhor dos Anéis, não tem muitos representantes modernos tão populares quanto Warcraft. A poderosa franquia da desenvolvedora Blizzard, criada nos games e ampliada em livros e quadrinhos, é extensa em um nível digno de Tolkien. São mais de 20 anos desde o primeiro jogo - Orcs vs Humans -, que renderam um detalhamento enciclopédico e colaborativo de cada era, locação, mito, religião e personagem no período.

Não se trata, portanto, do típico "filme de game" que estamos acostumados, esse execrado tipo de produção cinematográfica criado para fazer uns trocados inventando uma história onde até então só existia a jogabilidade. Warcraft é um universo riquíssimo e digno de uma superprodução do tipo que muda o panorama da indústria.

Warcraft - O Primeiro Encontro de Dois Mundos, dirigido pelo gamer convicto Duncan Jones (Lunar), é o fruto dessa certeza, a de que os games podem render bom cinema. Pelo menos se criados por alguém que entende a propriedade - e nisso Jones é mestre.

Em um nível, o do gamer, Warcraft é um trunfo. Diferente do convencional narrativo, o dos lados antagônicos - o bem é belo, o mal é feio -, o longa respeita a essência de seu universo. Nele, os jogadores optam por se juntar ao lado da Horda ou Aliança. Não há bem ou mal. Há heróis e vilões em ambas as facções. Dessa maneira, Warcraft divide sua trama entre orcs e humanos irmanamente. É um Cartas de Iwo Jima/A Conquista da Honra de fantasia, de certa maneira.

Do lado orc temos Durotan (Toby Kebbell), um chefe de clã constituindo família contra a opressão de um mago opressor. Do lado humano, o general Lothar (Travis Fimmel) enfrentando uma invasão. Ambos defendem seu povo - e o filme tenta equilibrar razões, para manter jogadores satisfeitos. A trama acompanha eventos do primeiro jogo, de 1994, mostrando como começou a animosidade entre as duas raças e a Primeira Guerra que travaram.

Alguns fãs devem torcer o nariz para certas adaptações na história, que não segue à risca o cânone, mas faz algumas boas concessões narrativas pra simplificar a trama (o entrega em essência, o que era esperado). Mas a grande maioria deve mesmo sentir-se em casa. Jones, afinal, foi ao cúmulo de replicar o horizonte retalhado do game (ao longe você vê vários tipos de terreno), para adaptar a sensação de trilhar o mundo de Azeroth que se tem no jogo. Além disso, encomendou da Industrial Light and Magic toda uma nova tecnologia de captura de performance, visando dar aos orcs a mesma empatia que um ator daria aos seus personagens humanos. Até os poros dos modelos em computação gráfica dos orcs são capturados da pele de seus intérpretes. Nesse ponto, Warcraft é bastante impressionante.

Leia nossa visita ao set para entender a tecnologia de captura de performance
A grande questão é a que tange os não-jogadores. Diferente de outras franquias, como a Marvel, que amplia seu universo ao incluir famílias inteiras como público-alvo, Warcraft é hermético demais. O filme começa em combate e parte instantaneamente para os problemas: a diáspora orc saindo de Draenor e a invasão a Azeroth. A apresentação corre apressada e, com ela, perde-se a chance de estabelecimento desses mundos e personagens. Simplesmente não há ligação emocional. Sem ela, perde-se a urgência. Se a sua mãe entende hoje o que é um Reator de Arco tranquilamente, não acredite que ela abraçará o conceito do Fel tão cedo. Pelo menos não como o filme o introduz. Não há uma escala crescente de informação em Warcraft, cuja trama salta de cenário em cenário apresentando personagens para um público que sequer absorveu a novidade anterior ainda. E considere aí que a própria tecnologia, o visual colorido e limpo - em contraponto ao sujo e gasto de O Senhor dos Anéis - e os orcs enquanto heróis e vítimas também são novidades aos olhos dos forasteiros aos jogos.

Os jogadores e fãs, claro, representadíssimos e valorizados, não devem ter problemas em abraçar o filme. Mas para que o universo de Warcraft floresça fora dos games, é necessário pensar nessa abrangência. Ao menos, passado o atropelado primeiro ato, as coisas vão se encaixando e levando em direção a um clímax interessante. Os fãs devem ir ao delírio.  Mas o público normal... esse não deve voltar a Azeroth tão cedo.

__________________________________________________________________________

"Faça todo o bem que você puder, com todos os recursos que você puder, por todos os meios que você puder, em todos os lugares que você puder, em todos os tempos que você puder, para todas as pessoas que você puder, sempre e quando você puder."

Friedrich Von Schiller
avatar
KaiserLeomon

Moderador
Moderador

Mensagens : 4367
Data de inscrição : 02/10/2011
Idade : 46
Localização : Guarulhos

http://sansomon.deviantart.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFF-TOPIC]Warcraft - O Primeiro Encontro de Dois Mundos | Crítica

Mensagem por Kyuketsuki em Sex 03 Jun 2016, 9:56 pm

Soube que foi lançado ainda ontem, mas vai demorar um tempo - provavelmente - até chegar na minha região. Estou com expectativa para o filme. Já tem alguma opinião pessoal, Kaiser?
avatar
Kyuketsuki

Kazentai
Kazentai

Mensagens : 1102
Data de inscrição : 16/09/2013
Idade : 17
Localização : Algum canto do quarto

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFF-TOPIC]Warcraft - O Primeiro Encontro de Dois Mundos | Crítica

Mensagem por KaiserLeomon em Sab 04 Jun 2016, 9:03 am

Não Kyu . Para ser bem franco eu não irei ver . Nunca mais consegui assistir nenhum filme aqui em Guarulhos desde que o " maledeto " do Internacional Shopping Guarulhos mudou o horário da primeira sessão das 1 horas da tarde para as 11 horas da noite . Um horário absolutamente inconveniente para mim pois nessa hora aqui em Guarulhos só tem bêbados e marginais na rua o transporte ( Ônibus ) demora para passar e as salas de cinema costumam estar lotadas e eu nem sempre consigo entrar logo na primeira vez então infelizmente penso que não verei este filme .

__________________________________________________________________________

"Faça todo o bem que você puder, com todos os recursos que você puder, por todos os meios que você puder, em todos os lugares que você puder, em todos os tempos que você puder, para todas as pessoas que você puder, sempre e quando você puder."

Friedrich Von Schiller
avatar
KaiserLeomon

Moderador
Moderador

Mensagens : 4367
Data de inscrição : 02/10/2011
Idade : 46
Localização : Guarulhos

http://sansomon.deviantart.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFF-TOPIC]Warcraft - O Primeiro Encontro de Dois Mundos | Crítica

Mensagem por spikehunter em Seg 20 Jun 2016, 9:53 pm

eu tava querendo ver mas nao rolou ainda de ir,mas achei bem legal a coisa pois nao é um filme só pra jogadores e fans de serie então quem nunca jogou o jogo como eu e só ouviu falar pode saborear da mesma maneira o pelo menos de maneira satisfatória ,a gorafico impreciona ,os orcs mesmo cara é de tirar o chapéu , a cena com o protagonista ogro com sua familia é muito boa
avatar
spikehunter

Seijukuki
Seijukuki

Mensagens : 845
Data de inscrição : 09/09/2012
Idade : 32
Localização : entre o colidir de galaxias

http://spikehunter/wordpress.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFF-TOPIC]Warcraft - O Primeiro Encontro de Dois Mundos | Crítica

Mensagem por KaiserLeomon em Ter 21 Jun 2016, 8:31 am

Honestamente não sinto mais animo nenhum em pegar um ônibus para ir para o cinema e pagar o ingresso para assistir um filme num horário em que só tem bêbados , desocupados e marginais para me incomodar quando eu voltar do cinema . Não estou mais com idade nem tenho mais paciência ou saco para ficar me irritando com pessoas desagradáveis que sentem prazer em ficar trollando os outros . Outra que honestamente eu não me sinto bem por sair de casa num horário em que só vampiros , lobisomens , múmias , zumbis , fantasmas e outras criaturas da noite estão acordadas . A primeira sessão aqui do Shopping Center Internacional de Guarulhos só começa as 11 horas da noite . Antes tudo bem era 1 da Tarde eu podia tomar um banho gostoso almoçar e ir ver o filme tranquilamente numa sala praticamente vazia . Mas não mais . Os donos do Shopping querendo ganhar o máximo possível mudaram o horário para uma hora que nem fu* eu poderia me atrever a ir e desde então nunca mais eu vi absolutamente nada . Nem quero ver pois perdi completamente o interesse por super produções hollywoodianas .

__________________________________________________________________________

"Faça todo o bem que você puder, com todos os recursos que você puder, por todos os meios que você puder, em todos os lugares que você puder, em todos os tempos que você puder, para todas as pessoas que você puder, sempre e quando você puder."

Friedrich Von Schiller
avatar
KaiserLeomon

Moderador
Moderador

Mensagens : 4367
Data de inscrição : 02/10/2011
Idade : 46
Localização : Guarulhos

http://sansomon.deviantart.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [OFF-TOPIC]Warcraft - O Primeiro Encontro de Dois Mundos | Crítica

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum